Na região Norte, a cultura é fortemente representada pelas festas populares. Todos os anos, em meados de junho, turistas do Brasil e do mundo visitam o estado do Amazonas para participar de uma das principais representações do folclore brasileiro: o Festival Folclórico de Parintins, também conhecido como Festa do Boi Bumbá. Com três dias de duração, o evento retrata a lenda sobre a morte e a ressurreição de um boi e o cotidiano dos habitantes da região por meio de danças de influência indígena.

Nordeste mais conhecido por sua natureza exuberante, o nordeste também é dono de uma cultura expressiva. Todos os anos, nos meses de fevereiro, a região movimenta carnavalescos de todo o país. Salvador, a capital baiana, se destaca pelo ritmo do axé, enquanto a capital de Pernambuco, Recife, atrai diversos foliões com os tradicionais blocos de rua ao som do frevo.

No Distrito Federal, a principal atração turística é Brasília, cidade considerada pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) como Patrimônio Cultural da Humanidade. Centro das decisões políticas do país, a cidade planejada conta com obras de destaque internacional, como o Palácio da Alvorada, o Congresso Nacional, a Catedral de Brasília, a Esplanada dos Ministérios e o Palácio do Planalto, além de prédios residenciais e comerciais.

Quando o assunto é festividade popular brasileira, a primeira que vem à mente é o Carnaval, a mais expressiva do Brasil. Todos os anos, entre os meses de fevereiro e março, a festa brasileira agita o mundo com os belos desfiles das escolas de samba no Sambódromo do Rio de Janeiro, na famosa Marquês de Sapucaí. Ao escolher esse destino, os visitantes também podem aproveitar todas as belezas que a Cidade Maravilhosa oferece.

Com traços marcantes da cultura europeia, o sul do país celebra as tradições dos imigrantes portugueses, alemães, italianos e espanhóis. São bem conhecidas a Festa da Uva, em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, e a Oktoberfest, em Blumenau, Santa Catarina. Tudo muito regado a cerveja e vinho, mas, é claro, sem superar a preferência pelo chimarrão, bebida típica do Rio Grande do Sul.